Postagens

Destaque

6 MINIATURAS PARA CAIXA-CLARA

Imagem
Compartilho com os leitores do blog uma produção que organizei. São pequenas peças  criadas pelos alunos da disciplina de Rítmica I (UFPel) a partir de parâmetros estabelecidos por mim. Publicamos seis miniaturas que foram escritas especialmente para o instrumento Caixa-clara. O objetivo inicial foi exercitar a criação rítmica a partir de parâmetros métricos pré-determinados. Disponibilizamos a quem tenha interesse no material de estudo rítmico.  Acadêmicos participantes:  - Simon de Primo Frizon;  - Tomás Paim Costa; - Valeria Dutra Dias;  - Rafaela Canez Camargo;  - Gustavo Ferreira de Medeiros;  - Maria Eduarda Fagundes.  Coordenação: Professor Dr. Marcelo Borba. Para baixar acesse o link:  https://drive.google.com/file

Abecedário - Aprender

Imagem
É importante ficarmos atentos para não reduzir o conceito de APRENDER a capacidade de memorização de conteúdo. Decorar uma música, automatizar movimentos ou progressões harmônicas é um exercício de memorização. Aprender, assim como produzir conhecimento, tem relação direta com o pensar e o sentir. Não dá para ficar somente no que é possível de ser racionalizado ou então automatizado. A dimensão das sensações e dos afetos são elementos chave para a noção de aprendizagem. O que posso aprender com uma canção além dos ritmos, acordes ou análises "formais"? O filósofo francês Henri Bergson (1859-1941) entendia que um novo  conhecimento é produzido quando somos tomados por uma vontade de agir no mundo. Agir a partir dos estranhamentos no mundo. Para que este deslocamento ocorra é fundamental problematizar as rotinas produzidas cotidianamente. Manoel de Barros conta que aprendeu com o pintor Boliviano Rômulo Quiroga a não usar "o traço acostumado". O "traço acostumado

Potencia em acontecimento

Imagem
Texto produzido coletivamente no curso de coordenação de grupos do Instituto Pichon-Rivière (coordenação Nelma Aragon). Experiência com esquizodrama. Atividade proposta pelos colegas Carolina Rocha e Ettore Scalon. Potencia em acontecimento Eu clamo pela potencia dos meus afetos Os laços que ligam as pessoas O som e as imagens me trazem sensações vivenciadas, e outras que eu adoraria vivenciar, um desejo por sons e imagens em um encontro pessoal, bicorporal e humano A imagem se desmancha em fluxos Os fluxos que me percorrem, me compõe em liberdade O corpo clama liberdade Desconforto pede distensionar tensões A banalização, da violência me traz tensões. Como mudar esta realidade? A banalização das emoções nos torna frios e mais racionais As emoções podem motivar ou paralisar  Desacomodar o movimento automatizado para pulsar em outras frequências Cuidado coletivo que produz vínculo Que os vínculos possam ser refeitos E depois de sentir a calma do corpo, serenidade.

Populares

Songbooks de Jazz digitalizados

Aprender a estudar

Ritmos Brasileiros: Ijexá